14 de março de 2011

Crítica: Strokes - Angles


Novo de Julian Casablancas e cia tem altos e baixos.
Foto: Divulgação.


Depois de 5 anos, - problemas do guitarrista Albert Hammond Jr. com drogas e os projetos paralelos de outros integrantes - , o Strokes está de volta.

'Angles', com previsão de chegar às lojas dia 22/03, vazou uma semana antes do previsto (algo não muito raro hoje em dia).

O álbum, produzido pela própria banda e pelos produtores Gus Oberg e Joe Chicarelli, começa com 'Machu Picchu' (a melhor do disco pra mim). O vocal de Julian Casablancas soa diferente do que estamos acostumados, assim como o instrumental bem parecido (como disse Lúcio Ribeiro) com o seu CD solo. Hit certeiro!

A segunda faixa, todo mundo conhece: 'Under Cover of Darkness' e segue o mesmo estilo que consagrou a banda. E que riff de guitarra 'grudento' e bacana!

'Two Kind of Hapiness' é a mais, digamos, 'dançante' do álbum. O vocal do Casablancas em determinada parte dessa música me lembrou, guardada as devidas proporções, Joe Strummer do Clash. Mas calma, é só a voz.

O Strokes 'das antigas' volta em 'You´re So Right' e 'Taken For a Fool', com a diferença desta última ter elementos 'Casablanquianos' (eu e os meus termos). Prefiro pular 'Games'. Chata que dói.

'Call me Back' é meio 'bossa-rock' com a guitarrinha do Hammond Jr. servindo de base para sir Casablancas. Bonitinha, mas ordinária.

'Gratisfacion' me lembrou (me preparando para os xingamentos) 'Getting Better', dos Beatles em determiandos momentos (principalmente no início). Homenagem? Plágio? Inspiração? Respostas, beatlemaníacos!

As duas últimas, 'Metabolism' e 'Life is Simple in the Moonlight' fecham um álbum razoável - de altos e baixos - trazendo de volta uma das bandas mais importantes (e bacanas) deste início de século.

Nota: 7


Abaixo, o vídeo do single 'Under Cover or Darkness'.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

4 comentários:

Anônimo disse...

Concordo que este album esta muito parecido com a carreira solo do Casablancas, que assim como este álbum teve de ótimas músicas até péssimas. Under Cover of Darkness e Life is Simple in the Moonlight já estouraram antes do lançamento e com certeza são as melhores do disco. Discordo que Machu Picchu é a melhor, pelo contrário, assim como You're so Right e Metabolism são dores aos ouvidos (coisa rara acontecendo nos Strokes). Enfim é um álbum bem médio, muitooooo menos empolgante e "explosivo" do que se esperava. Mas claro, Strokes é Strokes e mesmo com um CD médio ainda é uma das bandas salvadoras desse século.

Nine disse...

Só não falo que esse álbum é melhor que "Is This It", por que não há comparação entre eles. Mas Games e Machu Picchu são as melhores do cd. Nicolai Fraiture está melhor do que nunca, a bateria do Fabrizio Moretti está perfeita e o vocal do Julian, como sempre maravilhoso. Se o Strokes salvou o rock com "Is This It", salvou mais vez com "Angles".

Anônimo disse...

GAMES É CHATA QUE DÓI MESMO ... as melhores pra mim foram taken for a fool e gratisfaction

Anônimo disse...

é tudo questão de opinião... eu gosto de games ..pra mim é uma das melhores
e achei zuado you're so right '-'

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.